- Propaganda -

Siga o portal:

Início Notícias Ação conjunta entre Polícia Militar e Polícia Civil esclarece desaparecimento do Padre...

Ação conjunta entre Polícia Militar e Polícia Civil esclarece desaparecimento do Padre Gabriel

O dia de ontem, segunda-feira 18 de maio de 2020, começou com uma notícia triste para inúmeras pessoas que tiveram a oportunidade de conhecer e conviver com o Padre Antônio José Gabriel de 72 anos, popularmente conhecido como Padre Gabriel, que atuava na Diocese do município de Santo Antônio do Aventureiro. O padre que estava desaparecido desde de a tarde do último domingo, 17 de maio de 2020, foi encontrado sem vida em uma estrada de terra que liga os municípios de Recreio a Santo Antônio de Pádua.

Após ter seu desaparecimento declarado, foi realizada uma ação conjunta entre as Polícias Civil e Militar que resultou na prisão de três pessoas, 20, 21 e 30 anos, suspeitos de envolvimento no desaparecimento do Padre Gabriel além da apreensão dois aparelhos celulares, o veículo da vítima, um relógio de pulso, documentos pessoais e de um adolescente de 17 anos, que prestou esclarecimentos e foi liberado.

De acordo a Assessoria de Comunicação da Polícia Civil de Minas Gerais, a ação conjunta contou com o apoio de equipes da 3ª Delegacia Regional de Leopoldina, de Além Paraíba e de Recreio, e por policiais militares.

Segundo informações dos Delegados Marcos Vignolo e Thiago Carvalho Couri, autoridades policiais que participaram da ação, apurações realizadas pela Polícia Civil indicam que o suspeito de 21 anos teria cometido o crime de latrocínio, roubo seguido de morte, no município de Recreio. Posteriormente, ele teria abandonado o corpo do idoso na Zona Rural e encontrado com outros envolvidos em uma possível boca de fumo, onde teria comprado droga e tentado vender o veículo, o que não foi concretizado. Mesmo após ter dirigido o carro e ficado com o aparelho celular – que seria da vítima – para tentativa de desbloqueio, o suspeito de 20 anos alega não ter conhecimento da morte da vítima, mas imaginava que o veículo e o celular seriam roubados.  O corpo do Padre Gabriel foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Juiz de Fora a fim de identificar a causa da morte. Também serão analisadas imagens de câmeras que irão auxiliar na conclusão das investigações.

Após prestar depoimento, o investigado de 21 anos foi autuado pelos crimes de latrocínio e de ocultação de cadáver, já o suspeito de 20 anos, por receptação.  Eles foram conduzidos ao sistema prisional, permanecendo à disposição da Justiça. De acordo com o Delegado Marcos Vignolo, a princípio, não havia elementos para ratificar a prisão em flagrante do outro envolvido.

Para o Chefe do 4º Departamento em Juiz de Fora, Delegado-Geral Gustavo Adélio Lara Ferreira, foi de extrema relevância essa integração entre as Polícias Civil e Militar, possibilitando o esclarecimento do crime. “A Polícia Militar conseguiu fazer os levantamentos iniciais, com o seu trabalho qualificado, e a Polícia Civil, com a sua expertise em investigação, conseguiu a confissão do suspeito de ter cometido o crime. Todos trabalharam incansavelmente na elucidação desse caso e, por isso, merecem o nosso reconhecimento pelo profissionalismo e dedicação”, concluiu.

O Padre Gabriel iniciou a trajetória na Paróquia de Santa Rita de Cássia, em Além Paraíba, e atuou em outras cidades da região da Zona da Mata. Ele também era professor aposentado do Instituto de Ciências Humanas (ICH), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), onde foi diretor de 1994 a 1998.

O Dom Edson Oriolo, bispo da Diocese de Leopoldina, emitiu através do site oficial da Diocese a seguinte mensagem de condolências:

“Ao clero, religiosos, religiosas, familiares do Pe. Gabriel e a todo o Povo de Deus da diocese de Leopoldina!

Estamos vivendo um momento de muita tristeza na caminhada de nossa Igreja Particular. Recebo a notícia do trágico falecimento de um dos padres da diocese: o Pe. Gabriel. Penso nas palavras de Jesus a Pedro: “Eu orei por ti” (cf. Lc 22,32) e sei que Deus, pelas mãos carinhosas de Nossa Senhora, jamais desamparou esse seu filho dileto.

Recém-empossado na diocese, não cheguei a privar de sua convivência, mas sinto uma grande consternação pela sua morte repentina e violenta.

Solidarizo-me com a família, o Povo de Deus de Santo Antônio do Aventureiro e todos os seus muitos amigos. Muito particularmente, manifesto meus sentimentos aos padres da diocese, irmãos e amigos do Pe. Gabriel, e que se angustiam com essa notícia tão cruel.

Agradeço ao bom Deus pelos muitos trabalhos do Pe. Gabriel, por tudo que ele foi como pessoa e como padre. Pelas suas qualidades e méritos que, certamente, superam em muito seus limites e fragilidades.

Estamos no tempo pascal: convido a todos para meditarmos sobre o mistério da paixão, morte e ressureição de Jesus e renovarmos a nossa confiança na misericórdia de Deus, que é a maior riqueza que D’ele recebemos e devemos anunciar a todo tempo e em toda circunstância. ” – Dom Edson Oriolo.

- Propaganda -
Propaganda Site Responsivo 2C Web Design - Portal Além Paraíba
- Propaganda -
- Propaganda -
Propaganda Sistema 2C Web Design - Portal Além Paraíba
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -

Outras Notícias